domingo, 21 de fevereiro de 2016

Protetor Solar Heliocare Color



Normalmente associamos o uso de protetor solar ao Verão, mas a verdade é que a Radiação Ultravioleta está presente em todas as épocas do ano.

A minha escolha de Protetor Solar é....





terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Pega na mochila e mete-te dentro de um avião



Viajar sozinha é algo único que quero muito experimentar! Está na minha lista de realizações pessoais... Será ainda este ano?!... "Vais viajar sozinha?!"; "Tu és doída!"; "E se acontece alguma coisa?"; "É perigoso." São algumas das perguntas e afirmações que me tem feito. Chamem-me de Louca (em q.b), Corajosa ou Aventureira... Se as pessoas soubessem os benefícios que poderão tirar de uma experiência como esta. O importante é de nos sentirmos vivos e com um propósito real de vida. 


Passo a enumerar as razões pelas quais pega na mochila, mete-te dentro de um avião e vai à descoberta do Mundo.


  • Uma sensação total de Liberdade
É bom partilhar experiências com alguém, principalmente com alguém de quem se goste muito, mas a liberdade de poderes ir para onde queres, com quem queres, às horas que queres, é impagável. Acordas um dia de manhã e percebes que estás tão feliz naquela cidade, aldeia ou vila, que decides naquele preciso momento que vais ficar mais uns dias para além do previsto ou encontras alguém que te fala de um sítio fantástico que não estava nos teus planos e decides fazer um desvio e seguir para lá. Tudo depende de ti, apenas de ti.
  • Passas a confiar mais em ti 
Pegares numa mochila, partires para o outro lado do mundo, e perceberes que és perfeitamente capaz de sobreviver sozinha num país e cultura que não são os teus, é algo que te faz sentir grande e capaz. Sabes que a partir daí não há muito mais que tu não sejas capaz de fazer. Ultrapassaste os teus medos e sentes-te no topo do mundo.
  • Conheces-te a ti mesma a fundo
Porquê teres medo de estares sozinha? Não tenhas dúvidas que tu és sempre a tua melhor companhia. Enquanto assistes a um pôr do sol numa praia paradisíaca, atravessas um país numa viagem de comboio de horas e horas ou bebes uma bebida fresca numa esplanada, pensas em ti, na tua vida, nos teus desejos e receios. Ficas a conhecer os teus limites ou ausência deles e a perceber o que te faz bem ou não. A pessoa que volta a casa no final de uma viagem destas é uma pessoa mais completa e em perfeita sintonia consigo mesma.


  • Nunca estás verdadeiramente sozinha
Quando viajas com outra(s) pessoa(s), é normal fechares-te ao contacto com outros viajantes. Já tens o teu grupo, não sentes necessidade de conhecer novas pessoas com quem possas partilhar experiências. Ao viajares sozinha, por mais introvertida ou extrovertida que sejas, vais perceber que o contacto com outras pessoas é muito mais natural do que em casa. É tão fácil começares uma conversa com alguém e criares amizades de um momento para o outro. Pessoas que conheceste há horas ou dias, rapidamente se tornam em confidentes e amigos para a vida. Partilhas experiências de viagens e de vida e vives momentos únicos que se tornam ainda mais especiais pelo facto os estares a partilhar com alguém que acabou de entrar na tua vida.
  • Interages mais com a população local 
Viajar não passa apenas por ver um dos mais bonitos sunsets da tua vida, visitar templos, percorrer novas cidades ou ter mais um carimbo no passaporte. Viajar passa por conhecer quem vive nesses países e não está apenas de passagem como tu. Conhecer o seu dia a dia, a sua língua, o seu estilo de vida, as suas alegrias e preocupações. Passa por voltares a casa certa de que estiveste realmente lá e que conseguiste absorver tudo o que os sítios por onde passaste tinham para te dar.
  • Absorves a fundo tudo o que te rodeia 
Quando viajas sozinha, parece que sentes tudo a dobrar. Não existem distrações e dás por ti completamente embrenhada no ambiente em que estás, seja a admirar a vista pela janela do comboio ou autocarro ao mudares de cidade ou país, seja enquanto estás sentada num café ou numa esplanada. Apercebes-te de pormenores e detalhes que te passariam despercebidos se estivesses a partilhar aquele momento com mais alguém.


  • Sentes-te parte do mundo
Significa que te sentes parte das rotinas, dos movimentos, dos dias e das noites. Significa que ao invés de te manteres segura e confortável no país que te viu nascer e crescer, decidiste um dia  aceitar tudo o que o mundo tem para te oferecer: novas aprendizagens, experiências, emoções e maneiras de estar e tornares-te parte de algo maior.
  • Muda as tuas prioridades
Muitas das ambições, desejos e medos que davas como certos vão dar uma volta de 180º. Os caminhos que tinhas traçado e as prioridades que definias para a tua vida mudam ao teres uma experiência que te ensina mais sobre ti mesma e sobre o mundo. Será que subir até ao topo na empresa, pondo de lado o teu bem-estar físico e psicológico é assim tão importante…? Será que a frustração que sentes pelo facto de algo não ter corrido exactamente como querias vale assim tanto a pena..? Será que a imagem que os outros têm de ti é assim tão importante…?
  • Muda a tua maneira de estar na vida
A pessoa que volta a casa não é a mesma que, umas semanas ou meses antes, partiu de mochila às costas com a ânsia de conhecer o mundo. A pessoa que aterra novamente no país que a viu nascer e crescer está mais segura, mais confiante, aprendeu a levar a vida um dia de cada vez, está mais aberta a novas pessoas, experiências e caminhos. O brilho nos teus olhos e o coração aberto com que recebes quem se aproxima de ti será visível e irresistível para quem te rodeia.
  • Ganhas um dos melhores vícios que existem 
Não há ninguém que ao voltar de uma viagem destas, não comece de imediato a pensar na próxima oportunidade de por a mochila às costas e partir. És violentamente picada pelo “travel bug” e acredita que não há antídoto. Dás por ti a não comprar aquele vestido que te ficaria tão bem, a optares por juntar os amigos em casa em vez de irem jantar fora e beber uns copos, ou a pensares em formas alternativas de ganhares dinheiro de forma rápida só para conseguires aumentar a poupança que te vai permitir partir por mais algum tempo.

De que estás à espera? Pega na Mochila. E Vai. :D 




Até já! 

 Kate













quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Feliz 2016


A vida é uma constante renovação, cheia de fases e desafios. Os finais de ano não são só encerramentos de cada fase, mas também são inícios de novas etapas da nossa caminhada.
Desejo-vos tudo de bom para o novo ano, 2016. Que todos os vossos sonhos e projetos se realizem. Sejam bem sucedidos profissionalmente. Vençam as batalhas que a vida vos desafiar! Com garra. Esperança. Otimismo.
Votos de muita saúde, sorrisos, sucessos e felicidades!
Sejam felizes! Feliz 2016



Até para o ano! 

Kate

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

O Amor de Camões




Amor é um fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói, e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer. 

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se e contente;
É um cuidar que ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor? 
 Luís Vaz de Camões, in "Sonetos"


Até já! 

Kate 

Mar de Inverno ❤

Vila Praia de Âncora 28-12-2015

Mar. É Força. É Calmaria. É Rebeldia. É Revolta. É Serenidade. As ondas que veem e vão. Os Regressos. As Partidas. As Vitórias. As Derrotas. De Verão e de Inverno. 


... O mar em mim está assim... ❤





















Até já!

Kate

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Ho, ho, ho... Feliz Natal

 
Natal é... Gargalhadas. Sorrisos. Abraços. Anedotas. União. Amor. Prosperidade. Histórias dos avós. Adivinhas. Doces de Natal. Chuva. Neve. Conversas à Lareira. Mãos Dadas. A noite mágica do ano. Jogos de primos & tios. Lareira acesa. Os sonhos. A aletria. O Bacalhau. O Polvo. As Rabanadas. O Bolo Rei. A inocencia dos mais pequeninos. A Família reunida. E é tão bom.

Ho, ho, ho...Feliz Nata! 

Kate

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Desafio de Natal


A minha querida Helena do blog 3/4 de Mim escolheu-me para responder a um desafio de Natal, eu aceitei! Muito obrigada Helena.






Natal com frio ou com calor?
Com muito frio, muita neve, muita chuva, a lareira acessa e a família reunida, assim... É Natal.

O Natal deve ser uma época de sentimentos, emoções, amor e harmonia familiar, mas é também indissociável da palavra "presentes". Qual o melhor e o pior presente recebidos até hoje?
A época mágica do ano. A minha preferida. Conto os dias... A árvore está montada, os presentes estão comprados, as luzes a iluminar, as músicas natalícias, a magia dos pequeninos, a sala de jantar está decorada, os doces de Natal estão na mesa, a família está a caminho... É dia de Natal! 
Melhor presente? Tenho sempre presentes que gosto muito, (conhecem bem os meus gostos!).
O pior? Uma écharpe da dinastia dos Afonsinos e um perfume da Tous.

Jantar de Natal - Bacalhau, Perú ou outro?
O Bacalhau e o Polvo também. Acompanhados de Legumes. Regados de um bom azeite. Como manda a tradição.

Lareira ou aquecedor?
Lareira.

O filme de Natal?
Tantos: "Sozinho em Casa", "O Rei Leão", "Mr. Bean em Férias", "Toy Story", "Shrek" e tantos outros.

Bolo Rei ou Bolo Rainha?
Bolo Rei?!.. Só o escangalhado e o Bolo Rainha.

O melhor do Natal?
A família. A união. O amor. O carinho. A brincadeira. Os sorrisos. Os abraços. As histórias. As conversas à lareira. Gargalhadas. O imaginário dos mais pequeninos. As anedotas. Os Jogos. A lareira acesa. As mãos dadas. Os doces de Natal. As músicas de Natal. As tradições de Natal. A noite mais feliz do ano.


Os blogues que nomeio são: 
fashiONoir, Mãos de Palha, Addicted To, A Melhor Amiga da Barbie, A Miúda dos Saltos Altos, Diário de um Batom

Um Feliz Natal!

Kate